Se vai colocar a sua casa para arrendar ou pretende vendê-la, saiba que é obrigatório ter o certificado energético do imóvel, quer este seja novo ou usado, sob pena de ter que pagar uma multa avultada, caso não o apresente na realização do contrato.

Certamente já sabia desta situação, até porque desde que esta obrigatoriedade passou a ser uma realidade, já se realizaram vários debates na praça pública. Por um lado, é bem verdade que este é mais um custo imposto ao cidadão, no entanto, a despesa da certificação energética é totalmente justificável e acarreta vantagens que só beneficiam o comprador/arrendatário:

  • O certificado energético dá a conhecer a eficácia energética do imóvel, que é escalada de A+ (muito eficiente) a F (pouco eficiente). Para que a classe energética seja apurada, são avaliados vários aspectos, tais como: o ano de construção da casa, a sua localização, o tipo de imóvel, a sua área, a sua constituição (paredes, pavimentos, etc.) e todos os seus equipamentos de climatização;

 

  • O mesmo documento contém vários dados acerca das características do consumo energético do imóvel (relativas à climatização e às águas quentes sanitárias);

 

  • Consoante as características avaliadas no ponto anterior, o certificado energético também indica várias medidas a adoptar para reduzi-las e para melhorar o consumo energético da habitação;

 

  • As informações referentes à certificação energética são também importantes para que a avaliação do valor fiscal do imóvel seja apurada de forma mais justa.

 

Não restam mesmo dúvidas de que a certificação energética é crucial para quem vai arrendar ou comprar uma habitação. Mas agora atente bem ao que lhe vou dizer: só os técnicos autorizados pela ADENE podem emitir o certificado energético do seu imóvel. Não caia em esquemas, nem deixe este trabalho nas mãos de quem não está qualificado para o fazer, pois os custos podem variar e facilmente poderá ser enganado. E, claro, não adie mais o pedido deste documento se está a ponderar colocar a sua casa no mercado imobiliário. Pense que, se estivesse do outro lado, gostaria de saber, em pormenor, que género de imóvel estaria a adquirir, não concorda?

Rita